Santa Casa repudia este blog, que reafirma: Rotary está querendo tirar a Maçonaria da Santa Casa de Santos. Dinheiro do CAMPS vai pro Samba!

As eleições para a provedoria da Santa Casa de Misericórdia de Santos continuam fervendo. E as informações chegando em avalanche ao blog. Vamos tentar sintetizá-las aqui as que já conseguimos apurar.

hqdefault

A Assessoria de Imprensa do hospital encaminhou nota ao blog onde o provedor Ariovaldo Feliciano (foto) repudia a informação veiculada em nosso último post http://santosemoff.com.br/polaco-e-elias-do-camps-colocam-rotary-club-contra-maconaria-na-santa-casa-de-santos-e-passam-vexame-na-eleicao-do-conselho-do-hospital/ onde afirmamos que o Rotary Club agiu institucionalmente para tirar a Maçonaria do poder no hospital, situação evidente na eleição do terço do Conselho Deliberativo ocorrida na última segunda-feira (13). Confira abaixo a íntegra nota encaminhada ao blog:

Nota de Repúdio
A Irmandade da Santa Casa de Misericórdia de Santos vem a público repudiar a postagem “Polaco e Elias do Camps colocam Rotary Club contra Maçonaria na Santa Casa de Santos, e passam vexame na eleição do Conselho do hospital” publicada no Blog Santos em OFF no último dia 16 de janeiro.

A Santa Casa é uma instituição que tem como missão prestar assistência à Saúde como centro especializado de referência e promover o ensino e a pesquisa. Para cumprir esse objetivo, convergimos com os mesmos ideais de outras entidades internacionais que tem a missão de prestar serviços humanitários e de servir como a Maçonaria e o Rotary Club. As duas entidades (cujos integrantes, na maioria das vezes, são os mesmos) apoiam, ajudaram e ainda ajudam muito a Santa Casa ao longo dos seus quase 500 anos de existência, inclusive durante nossa gestão, em parcerias que têm sido muitos frutíferas ao hospital.

O Rotary, assim como a Maçonaria, é um grande parceiro da nossa Irmandade em diversas ações fazendo e promovendo o bem sem olhar a quem. A Santa Casa está de portas abertas a participação de rotarianos, maçons, e também aos membros do Lions Club, do Escotismo e de qualquer movimento que traga força e valor a nossa instituição.

Não vemos nossa entidade como palco de briga de poder entre o Rotary e a Maçonaria. Não notamos nenhuma ação institucional do Rotary ou da Maçonaria neste sentido. Estamos vivenciando apenas um processo eleitoral, algo raro dentro da Santa Casa, uma vez que é tradição termos poucos candidatos a provedor. Se tem gente interessada também é fruto do sucesso de nossa gestão. Afinal, quando assumimos, diziam que éramos irresponsáveis em querer comandar um hospital que dá mais de R$ 5 milhões de prejuízos por mês. Mas, mostramos que, com bons atos de gestão e com transparência e retidão, é possível equacionar e administrar com brilhantismo a Santa Casa e colocar a casa em ordem.

O sucesso do trabalho de nosso grupo é o que motiva outros irmãos, mesmo aqueles que se omitiram quando o hospital era um navio à deriva, a querer colaborar. De minha parte, todos são muitos bem recebidos, em nossa união de forças em prol da Saúde do Litoral Paulista. Sou a favor de todos que queiram somar, e opositor de todos que pensam em dividir para conquistar. A Santa Casa não tem dono e sequer é liderada por algum movimento. Ela é de toda a comunidade do país, como primeiro hospital de nossa nação. Não será uma eleição interna que afastará a Santa Casa do Rotary e da Maçonaria. Nossas entidades seguirão juntas atuando em prol da Saúde de toda a população como tem sido ao longo da história deste hospital.

Ariovaldo Feliciano
Provedor

paccillo

Reafirmo tud

ze
o o que publiquei. O grupo liderado por Luiz Polaco, José Geraldo Gomes Barbosa (foto à direita), José Francisco Paccillo (foto à esquerda), Elias Francisco da Silva Junior do Camps e pelo futuro Governador do Rotary, Watson Uiliana Travassos, presidente do Conselho do Camps e da Engetal Engenharia de Presídios, usaram sim todos os Rotarys de Santos para fomentar a disputa da Santa Casa e conseguir os 10 irmãos para candidatos ao Conselho. Membros históricos dos Rotarys, em especial do Rotary Santos e do Rotary José Bonifácio (que foi presidido por Elias em 2012 e é idealizado por José Geraldo Gomes Barbosa, principal devoto vivo do santo José Bonifácio de Andrada e Silva, patriarca da Independência) ligavam a membros do Conselho Geral que são rotarianos pedindo votos em nome da entidade rotária. Chequei com mais de três membros do Conselho Geral a informação. Só que a ladina ação não

polaco

rendeu frutos pois perderam de lavada a eleição do Conselho Deliberativo ocorrida no Conselho Geral da Entidade não conseguindo eleger NENHUM membro de oposição entre 10 vagas. Importante ressaltar que Luiz Simões Polaco Filho (foto à direita), Elias Francisco da Silva Júnior e Watson Uiliana Travassos disputaram as 10 vagas e não figuraram entre os eleitos. Uma vergonha para os que sonham em tomar o poder no hospital. Polaco principalmente deveria ter vegonha depois de como vice-provedor ter feito o Plano de Saúde patrocinar peças espíritas do filho e ter dado aumento e mudado de função a namorada, conforme já denunciamos seguidamente neste espaço.

Apesar de respeitarmos a opinião do provedor Ariovaldo, que surpreendentemente é querido por funcionários do hospital, está evidente e claro, tão transparente quanto água pura, o uso do Rotary para fazer a política de oposição da Santa Casa. A oposição do mal da primeira Casa de Misericórdia do País é idealizada por Polaco, Zé Geraldo e Paccillo, mas hoje comandada por Elias do Camps e Watson do Presídio, já eleito futuro governador do Rotary do Litoral Paulista. Pessoas cujas ações comprovam total falta de compromisso com as entidades em que atuam e sua história, que jogam na lama suas reputações e dessas entidades, em busca de seus objetivos pessoais.

eliaswatson

Elias Francisco da Silva Junior (Presidente do Camps e candidato a Provedor da Santa Casa) e Watson Uiliana Travassos (Presidente do Conselho do CAMPS e futuro Governador do Rotary), também conhecido por Watson do Presídio. Dupla afinada em promoção pessoal e uso da máquina!

Pensem comigo: Como um diretor da Fiesp/Sesi/Senai/Ciesp, presidente do Camps, presidente do Rotary do patriarca da independência e presidente da Associação Comercial de Santos Jovem disputa uma entre 10 vagas para conselheiro da Santa Casa e não se elege? Será que os cardeais da Cidade sabem de coisas sobre Elias Júnior que, aos poucos, a opinião pública vai descobrindo e percebendo. Será que ele é tão bom gestor quanto afirma ser? Creio que não!

Recebemos inúmeros comentários atacando e elogiando este blog e este jornalista, vindo dos dois lados envolvidos na disputa. Um nível baixíssimo promovido por gente sem noção. Inclusive de funcionários do CAMPS que estão a serviço de Elias e atacaram esse jornalista de forma vil e baixa pela internet. De forma covarde e que não me atinge.

virgilio

Ainda bem que mesmo no CAMPS há bons funcionários, além de patrulheiros e mães de patrulheiros que nos procuraram inconformados com Elias Francisco da Silva Júnior. O Presidente do CAMPS abandonou a entidade à deriva nos últimos meses. Primeiro para uma viagem romântica aos Estados Unidos (onde se encontrou com vários amigos, entre eles Vinícius Pina, filho do falecido Virgílio Pina da T-Grão – empresa alvo de dezenas de denúncias no Porto de Santos). Após a viagem, continuou deixando o CAMPS de lado para disputar a eleição na Santa Casa.

Informação que chegou ao blog é que Elias é advogado do T-grão, onde receberia mais de R$ 30 mil por mês indicado por Vinícius ao seu falecido pai. A informação consta do perfil de Elias nas redes sociais, mas nele Elias afirma ter deixado oficialmente a empresa em março de 2018. Tentamos falar com o próprio Elias, mas ele não retornou nossos contatos para confirmar a informação de que ainda atua como advogado da Família Pina do T-Grão. Outra informação passada ao blog da conta que diretores administrativos do T-Grão obrigaram a família Pina a demitir Elias. O motivo seria uma multa da ANTAQ em 2018 devido a aditamentos de contratos de exploração do porto de Santos mal redigidos por Elias que custaram a empresa quase R$ 300 mil. Por pena do amigo, que estudou junto no Colégio Santista, Vinícius Pina teria continuado a pagar o salário a Elias, mas o afastou da empresa após cinco anos de atuação “pouco satisfatória”. Pina está nos Estados Unidos e não retornou mensagem deste jornalista.

Advogado e empresário, Elias Júnior quer ser provedor da Santa Casa, mesmo sequer ter sido eleito conselheiro da entidade, e afirma ter fama de “bom gestor”. Só que, ao que tudo indica, deixou um rombo de quase R$ 300 mil para a T-Grão pagar devido a aditamentos mal redigidos juntos a contratos de arrendamento de parte do Porto de Santos. Imagine o prejuízo que este tipo de erro administrativo poderia causar na Santa Casa.

seven

Constatamos também que Elias e seus sócios conseguiram quebrar a “Seven” (foto), que por muitos anos foi a balada mais procurada de Santos por inabilidade gerencial. Fechar uma casa lotada que vende bebida e diversão só se explica com inabilidade administrativa.

pdm

O blog ficou impressionado com a quantidade de inimigos que Elias Júnior possui. Até mesmo Pedro Doria Mesquita (foto), do Conselho Gestor do Santos e inimigo declarado deste blog, mandou emissários procurarem este jornalisa para informar que, quando Elias presidiu a Associação Comercial Jovem, entre 2008 e 2009, ele tentou dar um golpe e continuar no poder, mas foi impedido por Pedro Doria Mesquita, que conseguiu destruir os planos de Elias e se elegeu presidente do grupo. Uma briga de dois meninos mimados.

Funcionários e patrulheiros que pediram anonimato reclamaram do clima de Gestapo com que o CAMPS é administrado. Quem não reverenciar Elias ou questionar seus gastos indevidos perde suas vagas de patrulheiros ou os empregos. O uso da máquina por parte de Elias e de Watson também é denunciado por esses funcionários e patrulheiros em mensagens ao blog. Além do personalismo e nepotismo de Elias na entidade.

elais pai

Nepotismo sim. O pai de Elias (foto) é diretor do CAMPS e passa o dia na entidade. Dizem que até salário indireto recebe da entidade. Ou seja, no CAMPS o filho manda no pai e, ao que tudo indica, até o emprega. Que exemplo de disciplina vendem aos jovens patrulheiros? Será que, seguindo o exemplo de Elias, os meninos não chegam em casa e querem mandar em seus pais?

Segundo denúncia anônima enviada ao blog (portanto que merece melhor apuração), a máquina do CAMPS foi decisiva pra Watson ter sido eleito futuro Governador do Rotary. Com patrulheiros em diversas entidades, Elias teria facilitado contratos da entidade que preside com empresas a fim de atender amigos rotarianos que ajudariam Watson a ser eleito, em uma ação politiqueira. Se isso mesmo ocorreu, é caso de ação do Ministério Público Federal.

A função de Governador do Rotary que muda anualmente e faz com que o ocupante do cargo viaje pelo Estado e pelo mundo para centenas de reuniões de Rotarys Club. Como alguém com essa atribuição, que toma tempo, conseguiria ainda se dedicar à Presidência do Conselho do Camps e ao Conselho Deliberativo da Santa Casa, isso sem contar com a Engetal Engenharia, maior construtora de presídios do país. Essa ambição de Watson talvez explique o motivo de tantas fugas de presídios em território nacional. Será que não existe erros de engenharia que facilitam a fuga de criminosos propositalmente, ou

cnc_584992_175319

mesmo não propositalmente, uma vez que quem deveria prever a engenharia dos espaços o faz com desatenção devido as inúmeras atribuições? Vale uma investigação mais aprofundada. Na foto à direita, presídio da Engetal no Interior de São Paulo que custou quase R$ 50 milhões do povo paulista.

O personalismo e nepotismo de Elias Francisco da Silva Júnior no CAMPS são de proporções assustadoras. Como o blog revelou na postagem anterior, a vaidade dele é tão grande fez milhares de agendas com sua foto e distribuiu pela Cidade para todos os formadores de opinião, torrando dinheiro que deveria ser investido na formação de garotos em vaidade pessoal. Também mandou para todos os membros do Conselho Geral da Santa Casa essa agenda do Camps que tem mais fotos de Elias do que da estrutura da entidade, usando as agendas como “panfleto de campanha”.

Chegou uma informação ao blog, vinda de um conselheiro do CAMPS perturbadora: Ao que tudo indica foram impressas mais de duas mil agendas na Sangraf Serviços Gráficos, empresa que Elias é sócio junto com o pai e que anda mal das pernas. Procuramos o site da empresa na internet e está fora do ar. No Google, tem reclamação de clientes que não conseguem contato com a gráfica. Será que Elias está se valendo de sua posição no CAMPS e fechou o atendimento público da gráfica para que ela preste serviço exclusivo à entidade? Será que Watson, presidente do Conselho do CAMPS, que deveria investigar isso, não é conivente? Parece que Elias está usando o dinheiro do CAMPS, repito que deveria ser investido na formação educacional e profissional de jovens carentes, para resolver as pendências financeiras da família?

67478501_10211900639151278_955414689016184832_n

Elias Júnior gastou cerca de R$ 20 mil do CAMPS para receber o Top Of Mind de A Tribuna com o pai do lado. Fácil aparecer gastando dinheiro dos jovens aprendizes em troféuzinhos e dinheiro para a Imprensa….
A vaidade de Elias é tanta que não pensou duas vezes em participar da eleição da Santa Casa, mesmo colocando em risco o emprego de centenas de patrulheiros do Camps que atuam no hospital, que é o maior empregador da entidade.

O tamanho da vaidade de Elias pode ser maior que o rombo que ele vai deixar no CAMPS. A entidade é enredo da Unidos dos Morros no Carnaval 2020. Quem conhece de Carnaval, sabe que as entidades, pessoas, e homenageados pagam milhões as escolas para figurarem em seus enredos. Elias teria tirado dinheiro de empresas que poderia ser investido no CAMPS para bancar sua vaidade e vestir uma fantasia com plumas e paetês e sair de destaque na escola de samba de Santos? É atitude de um bom gestor gastar dinheiro social, que deveria educar e preparar jovens para o mercado de trabalho em escola de samba? A Unidos dos Morros estão indo muito ao CAMPS. Cada saída de bateria e sambista e uma escola custa uma fortuna. Quem está pagando essa farra?

80698820_189894535480025_7553857707040571392_n

Elias Jr dando o dinheiro do CAMPS à Unidos dos Morros.
Elias está abaixo da bandeira da escola de samba e das mãos do Mestre Salas

79161134_189111108891701_2441754302948048896_n

Elias do Camps dando dinheiro que deveria ser empregado na
formação de jovens para escola de samba para aparecer e ainda levar jovens para
cair no samba ao invés de capacitá-los para o mercado profissional
Peço aos 30 conselheiros membros do Conselho Deliberativo da Santa Casa que impeçam essa gente vaidosa e irresponsável de assumir o maior hospital da Região. Pela Saúde de todos!!!!

1 Comentário

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*