São 65 anos de história no rádio santista, mais precisamente, sua inauguração aconteceu no dia 23 de março de 1952. A Rádio Cacique de Santos AM 1510 khz, que fica na Rua Silva Jardim 480, no Macuco, enfrenta uma das maiores crises da sua história.

No dia 23 de outubro passado, na 3ª Vara do Trabalho de Santos, de um lado da mesa estava o Sindicato dos Radialistas de São Paulo e do outro representantes da empresa, que pertence ao pastor Paulo Alves Corrêa, presidente da Igreja evangélica Assembleia de Deus – Ministério de Santos, há 15 anos. A Cacique, de acordo com o Sindicato dos Radialistas, está sucateada e passa por um desmonte. Atualmente, sua programação é religiosa e se resume a louvores e músicas evangélicas principalmente.

Para piorar, quem trabalha lá enfrenta problema com salários atrasados e o não pagamento de benefícios como vale-refeição e vale-transporte e também a falta de perspectiva de melhora na situação.

A rádio é administrada por seguidores da igreja e a empresa tem como sócios a pastora Pauliane da Cruz Corrêa (filha de Paulo Corrêa) e o também pastor Sergio dos Santos . O Sindicato dos Radialistas de São Paulo, por meio da sua diretoria local, garante que tentou negociar uma saída, mas não houve interesse em conversar por parte da Cacique. Diante disso, os trabalhadores foram para a Justiça.

O Sindicato revelou que vai apelar a todas as instâncias para garantir os direitos dos radialistas, denunciar o caso ao Ministério Público do Trabalho e para a Anatel, solicitando a devolução da concessão pública.

Paulo Alves Corrêa,  presidente de uma das maiores organizações religiosas de nossa região, não está cumprindo com suas obrigações neste caso e deixando os trabalhadores literalmente nas mãos de Deus, que parece não ser o dele.

Para encerrar, vou citar Tiago 4:  “Quem sabe que deve fazer o bem e não o faz, comete pecado”.

A conferir.