Eleitos no dia 9 deste mês, José Carlos Peres e Orlando Rollo, presidente e vice do Santos Futebol Clube, respectivamente, passaram esta semana fazendo articulações. A nova diretoria, que toma posse em janeiro, já se reuniu com Modesto Roma Júnior para tratar da transição no Peixe.

Nos bastidores, as conversas principais são sobre a composição da futura mesa do Conselho Deliberativo e a escolha três integrantes do Comitê de Gestão (CG). José Carlos Peres teria definido três nomes. São eles os executivos: Fabio Gaia,(vice-presidente da Golden Distribuidora), Hanie Issa Junior (CEO da Tekbond) e Urubatan Helou (dono da Braspress).

Os outros três participantes, como prometeu durante a campanha, viriam das chapas concorrentes na eleição. O presidente recém-eleito, porém, só pode escolher nos grupos de Modesto Roma e Andres Rueda, pois Nabil Khazanadar não conseguiu atingir os 20% de votos e não elegeu conselheiros para esta gestão.

Andres Rueda declarou que não vai participar do CG e também descarta indicar alguém do seu grupo político. Já no grupo de Modesto Roma, o nome mais cotado é o do veterinário e recém-eleito conselheiro Eduardo Filetti, atual ouvidor do clube de Vila Belmiro. Procurado pelo Blog, Filetti garantiu que está à disposição para ajudar o Santos, mas que não foi convidado por ninguém.

Caso não consiga mais um nome, além de Filetti, na oposição, Peres poderia compor o futuro CG com os conselheiros José Calil (jornalista) e Miltinho Teixeira (advogado), recém-eleitos pela Somos Todos Santos.

Por outro lado, existe a disputa pela mesa e presidência do Conselho Deliberativo do Santos. Pelo grupo de Peres, o candidato deve ser o advogado e ex-presidente do Santos, Otávio Adegas. O nome de Miltinho Teixeira também está sendo cotado para a presidência.

Na oposição, o ex-presidente Marcelo Teixeira articula uma chapa e pode se lançar a presidente do Conselho Deliberativo. Teixeiristas de carteirinha apostam nisso, mas existe a possibilidade inédita de uma eleição com uma chapa com Marcelo Teixeira na cabeça e outra com Miltinho Teixeira, que são irmãos, e não dividem há tempos a mesma mesa na Ceia de Natal.

Resta saber se Marcelo Teixeira vai bater chapa com o irmão, com grande chance de ser derrotado, pois, hoje, tem uma posição política menos favorável dentro do clube depois da derrota de Modesto Roma Júnior, no dia 9, e que muitos adeptos de Roma atribuem o insucesso do atual presidente à falta de empenho do ex-presidente do Santos na recente eleição.

Os nomes e chapas precisam ser definidos até esta sexta-feira, dia 15 de dezembro. A eleição da mesa, a posse dos novos conselheiros e a aprovação dos nomes pelo Conselho Deliberativo acontecem na próxima segunda-feira, dia 18 deste mês.

A conferir.